A Prefeitura entregou uma geomanta de 1,3 mil m² numa encosta localizada na Rua Ceará, no bairro da Pituba. A obra é capaz de prevenir que deslizamentos de terra ocorram proporcionando, portanto, mais segurança aos moradores e motoristas que trafegam na região. A intervenção foi entregue pelo prefeito Bruno Reis e pelo diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sosthenes Macêdo, durante ato simbólico na manhã desta quarta-feira (30).

 Com investimento de R$181 mil, a proteção beneficiará diretamente 200 famílias moradoras de um imóvel residencial no entorno do talude. “Aqui, mesmo sendo um bairro de classe média, possuía essa área com risco de deslizamento. Quando chovia, o barro da encosta descia para a rua e formava lama. Por isso, a Prefeitura precisava realizar essa intervenção, que trouxe mais tranquilidade para os moradores, além de contribuir para questões de mobilidade e melhorar o aspecto visual”, destacou Bruno Reis.
Ele lembrou, ainda, que a Prefeitura encerra oficialmente neste último dia de junho a Operação Chuva na capital, que foi iniciada em março. Porém, as ações preventivas e emergenciais para eliminar e minimizar os efeitos causados pelas precipitações continuam durante todo o ano.

“Esse é um trabalho permanente. Tanto que a cidade de hoje está muito mais preparada do que a de ontem. Antes, era comum ocorrer deslizamentos e desabamentos com vítimas. Nos últimos oito anos, já destinamos mais de R$220 milhões para proteção de áreas de risco. Essa é a nossa prioridade”, pontuou o prefeito, acrescentando outros investimentos do município em tecnologia. Salvador, por exemplo, tem à disposição um moderno Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec), além pluviômetros, estações hidrológicas e sistemas de alerta e alarme.

Intervenção – Conforme o último censo do IBGE, a capital tem 1.040 pontos vulneráveis para deslizamentos. Desde 2013, a Prefeitura já protegeu mais de 330 áreas. Só de geomantas foram aplicadas 210 em diferentes localidades. Esta é uma solução tecnológica de rápida execução e baixo custo em comparação às cortinas de contenção em concreto, formada por um composto de PVC e geotêxtil com cobertura de argamassa jateada.

Nem toda a situação, no entanto, comporta essa técnica e por isso equipes de engenheiros da Codesal fazem a análise e apontam a possibilidade da instalação ou não da tecnologia. São levados em consideração critérios como inclinação e características do solo. “A transformação e segurança das comunidades que receberam as geomantas têm sido extraordinárias, o que pode ser percebido pela significativa redução das ocorrências em áreas de risco de nossa cidade”, afirmou Sosthenes Macêdo.

Moradora do bairro da Pituba, a professora Camila Teixeira, 48 anos, comemorou a geomanta aplicada na Rua Ceará. “A terra já chegou a deslizar pelo menos umas três vezes. Uma barraquinha de alimentos chegou a ser atingida. Também tinha muito matagal e várias árvores a ponto de cair sobre a fiação dos postes. A qualquer momento poderíamos ter um acidente de grande proporção se não fosse essa obra”, atestou.

Frente fria - Segundo dados meteorológicos divulgados pela Codesal, a tendência para quinta-feira (1º) é que o céu se mantenha nublado a parcialmente nublado com chuva fraca, por vezes moderada, a qualquer hora do dia.

A partir da sexta-feira (2), o avanço de uma frente fria vinda da região Sudeste aumentará as chances de chuvas, acompanhadas por rajadas de vento, com risco para alagamentos e deslizamento de terra. Essas condições do tempo deverão se manter ao longo da próxima semana.

Qualquer situação de emergência relacionada às chuvas pode ser informada através do número 199, da Defesa Civil, que funciona em plantão 24 horas.